Reflexões de Mãe, Relacionamento a dois

Tchau, Whatsapp! Vou viver os meus filhos



Tchau, Whatsapp. Resolvi viver a vida sem estar presa ao celular 24 horas por dia. Deixa eu contar melhor.

Vinha ensaiando escrever sobre a minha saída do Whatsapp, mas queria ter uma certeza maior de que não voltaria atrás na minha decisão em não fazer mais parte desse aplicativo fantástico – que ao mesmo tempo que une, distancia!

É isso mesmo que você aí do outro lado da tela, leu. Ele une no sentido de você poder digitar ou enviar áudio para uma pessoa que está lá do outro lado do mundo. Mas ele também separa!

Separa dos filhos que pendem atenção à mãe que está lendo as 1001 mensagens dos seus 100 grupos. Separa do marido que não larga o telefone, enquanto assiste aos vídeos mais bobos da face da Terra. Separa do pai, que mora longe, mas quando tem a chance de estar junto, ficam os dois presos ao telefone.

Vida sem whatsapp

A verdade é que eu cansei dessa coisa de teclar,  escutar e enviar áudios. É super prático – acho a tecnologia envolvida incrível – mas eu realmente não quero mais perder tempo, perder o foco no trabalho, porque o telefone vibra a todo segundo.

Então silencia, que resolve. Resolve temporariamente, porque quando eu pegar o telefone lá estarão aquele tanto de números ao lado das conversas – e eu que tenho pavor daquele tanto de mensagem não lida (vai que tem alguma realmente importante), só vou desgrudar do telefone, quando terminar de abrir todas.

Eu ainda não exclui totalmente o aplicativo. Hoje eu desativo e em algum momento do dia, que eu esteja sozinha e não esteja trabalhando, eu ativo. Vejo se tem algo importante – até agora, 10 dias exatos – não recebi absolutamente nada de importante – apenas vídeos, fotos, memes e correntes.

As pessoas mais próximas ainda não entenderam o porquê de eu ter feito isso, então acho que por aqui consigo me explicar melhor, né? Mas para ser bem objetiva, eu enchi o saco! Eu cansei!

Eu quero brincar de verdade com os meus filhos, sem ser interrompida por coisas bobas.

Eu quero estar presente de verdade numa conversa entre amigas, sem ser interrompida por coisas bobas.

Eu quero curtir a presença do meu marido sem me preocupar se tem alguma coisa no meu whatsapp.

Eu quero ir para Brasília e curtir o meu pai, sem que fiquemos presos aos nossos telefones.

Eu sei que isso só pode acontecer se as outras pessoas também se desligarem – de verdade – dos seus telefones, mas aí cabe a cada um fazer uma reflexão, e perceber se o uso excessivo do whatsapp não está separando as pessoas que estão próximas a você, na verdade, ao seu lado!

Eu fiz a minha parte e posso dizer que livre estou, livre estou… do whatsapp!