Reflexões de Mãe

Sobre estar e não estar com os filhos



Você já sentiu que mesmo estando fisicamente com os filhos não estava de corpo e alma? Não estava se dando 100%? Eu já, e precisei de um puxão de orelha do meu filho mais velho para acordar!

Acordo já com o celular na mão – conferindo redes sociais, whatsapp e emails – e se não faço isso, é como se algo me faltasse, quando o correto seria me conectar com os meus filhos, depois de agradecer a Deus por estar viva.

Recentemente meu filho mais velho dormiu comigo e quando me viu acordar – depois dele – ficou me observando, percebendo que eu não havia notado a sua presença me questionou “mamãe, por que o seu celular é mais importante do que eu?”.

O seu celular tem sido mais importante do que a sua família na sua vida? Na minha, infelizmente, estava, mas deu tempo de modificar as prioridades sem grandes perdas!

Preciso dizer que arremessei o celular para debaixo do travesseiro e tentei desconversar? Claro que, de nada adiantou, e eu me senti a pior pessoa do mundo! De nada também adiantaria eu me sentir a pior mãe do mundo e continuar agindo da mesma forma – colocando o virtual em primeiro lugar!

E foi aí que eu comecei a modificar os meus hábitos. Passei a postar bem menos nas redes sociais do blog – você percebeu isso? – , passei a olhar emails apenas 3 vezes ao dia e whatsapp diminui bastante.

Daí, depois do puxão de orelhas, passei um fim de semana em um curso de imersão e nem levei o celular. Queria realmente me desconectar totalmente!

Leia também: O uso excessivo de celular pelos pais e o prejuízo na atenção aos filhos.

E posso contar uma coisa? Não senti a menor falta do telefone e de tudo que ele proporciona. Percebi por completo que muito mais importante do que o mundo virtual é a minha vida real, com meus filhos, minha família!

Claro que, por trabalhar com tecnologia, não posso me desconectar por completo, mas, sem dúvida alguma, se eu organizo os momentos de trabalho e os momentos de lazer e família, dá pra conciliar e realmente me dedicar 100% a todas as áreas da minha vida.

Hoje me permito brincar com os meninos sem estar com o celular a tiracolo. Hoje me permito dizer a eles “mamãe hoje vai precisar trabalhar e não vai conseguir brincar, mas prometo que depois que terminar, volto para ficarmos juntos de verdade”.

Sabemos que somos os maiores exemplos para os nossos filhos, e se eles nos pegam o tempo todo com o celular nas mãos, fazendo de conta que estamos ali com eles (sem estarmos de verdade!), eles crescerão com esse parâmetro e lá na frente, com toda certeza, estarão repetindo os hábitos que vivenciaram quando criança.

Quantas vezes você estava e não estava com o (s) seu (s) filho (s)? Quantas vezes o celular esteve em primeiro lugar na sua vida?