Gestação, Mommy to be, Saúde e bem estar

2º trimestre: quando a gravidez torna-se melhor!



Passadas as primeiras 14 semanas, costumam desaparecer náuseas, vômitos e demais queixas iniciais. Normalmente, a mulher está mais familiarizada com gravidez, que se torna muito mais prazerosa, e os laços com o bebê tornam-se também muito mais intensos.

Mudanças no corpo da gestante começam a ser melhor percebidas: a bacia fica mais larga, perde-se a cintura, as mamas tornam-se mais pesadas, quentes, doloridas e podem já produzir algum colostro. É comum perceber a pele mais bonita e os cabelos mais vistosos, que concorrem para melhoria da auto-estima e do bem-estar da mulher. A sensação de plenitude e beleza muitas vezes acompanha o retorno do desejo sexual e melhorias da vida a dois.

O apetite também deve estar de volta nessa fase e aqui se inicia uma longa trajetória em que os cuidados com a dieta são muito importantes. O acompanhamento nutricional associado ao pré-natal pode ser boa pedida e garantir que o ganho de peso até o parto fique dentro do esperado para a gestação saudável.

Grandes expectativas surgem no segundo trimestre: a descoberta do sexo e a percepção dos movimentos do bebê, o aparecimento do barrigão… São assuntos que devem ser abordados durante o pré-natal e serão facilmente esclarecidos pelo profissional a realizá-lo.

A curiosidade sobre o sexo do bebê costuma causar alvoroço em toda a família. Normalmente, pode-se prevê-lo a partir de 16 a 18 semanas de gravidez, mas às vezes, pela atitude do feto, a ultrassonografia não é capaz de identificá-lo. Ainda, as gestantes não devem ficar desapontadas se seus médicos deixarem para solicitar a esperada ultrassonografia apenas entre 22 e 24 semanas, quando se recomenda a avaliação morfológica do feto (lembro que as mamães e papais mais ansiosos dispõem hoje do exame de sexagem fetal em amostra de sangue materno, que pode ser realizada no primeiro trimestre).

É importante dizer que os movimentos do bebê só devem ser percebidos a partir das 18 semanas de gravidez, mas que podem permanecer imperceptíveis por mais tempo sem que existam problemas com a saúde da gestação. As grávidas mais gordinhas, principalmente, costumam demorar mais para percebê-los.

A barriga das mamães de primeira viagem costuma permanecer apenas arredondada e levemente aumentada até 20 a 24 semanas. O esperado barrigão só deve aparecer depois dessa fase, embora a individualidade de cada grávida permita que isso aconteça antes. Nas mamães mais experientes, o barrigão tende a ser mais precoce e pode já ser evidente a todos antes de se completarem 20 semanas.

Entre 24 e 28 semanas, é comum a gestante perceber desconforto lombar e pubiano com maior facilidade, e pode perceber aumento significativo e acelerado do peso do barrigão sobre a bacia. A prática de exercícios físicos supervisionados leves a moderados pode ser de grande valia para alívio de tais queixas, pela reprogramação da consciência corporal e fortalecimento de grupos musculares específicos. Outras medidas, como dormir de lado e com um travesseiro entre as pernas, e evitar carregar pesos podem contribuir, também, para aliviar sobrecargas.

Várias queixas são comuns ao longo do segundo trimestre de gravidez. Prisão de ventre, queimação e desconforto respiratório ocorrem pela compressão dos órgãos abdominais pelo útero que cresce continuamente. No fim do período, é comum as gestantes perceberem contrações de leve intensidade e normalmente indolores, chamadas contrações de Braxton-Hicks. Todo tipo de queixa deve ser levado ao obstetra.

Enfim, durante o segundo trimestre ocorrem mudanças muito significativas e espera-se que seja um período de bem-estar gestacional, quando a gravidez torna-se melhor. Recomendo às gestantes que não permitam que dúvidas e anseios atrapalhem o fortalecimento dos seus laços com a gravidez, o bebê e os familiares. Aproveitem as consultas de pré-natal para eliminar as “pulgas atrás das orelhas “ e curtam bastante!

Nota: O uso da Internet para a busca de informações em saúde deve ter como finalidade a complementação e nunca a substituição da consulta médica. Este e outros textos sobre a saúde da mulher apresentados pelo Dr. Bruno Ramalho no site Baby Dicas prestam-se a ser fontes de informação, baseadas na generalização, e têm caráter exclusivamente educativo. Em casos de dúvidas, sinais ou sintomas sugeridos nos textos, recomendamos avaliação pelo obstetra assistente.