Alimentação, Kids, Publieditorial

Praticidade na alimentação das crianças



Na correria em que vivemos hoje em dia, muitas vezes acabamos nos perdendo no momento de preparar as refeições das crianças, principalmente quando se trata dos lanches ao longo do dia. Ou seja, precisamos ter praticidade na alimentação deles, mas sem deixar de buscar hábitos saudáveis.

Não sei se vocês sabem, mas a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que o cardápio de uma criança seja composto de cinco a seis refeições diárias, incluindo café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e ceia, sendo esta última oferecida apenas se necessário¹.

Outro aspecto relevante que vale ser mencionado é que, na fase escolar – 07 a 10 anos –, a criança tem uma intensa atividade física, o ritmo de crescimento é constante e o ganho de peso se torna mais acentuado. Ou seja, nessa fase é fundamental que cuidemos da qualidade e da quantidade da alimentação, para que ela seja adequada às necessidades diárias da criança, além, claro, de darmos continuidade ao estímulo de um estilo de vida saudável².

Os lanches são os momentos a que, muitas vezes, não damos tanta importância, mas eles podem ajudar a balancear a alimentação da criança na fase escolar. É uma oportunidade de adequar os nutrientes fundamentais para essa faixa etária, como, por exemplo, ferro, cálcio, fibras, zinco, além das vitaminas A e D2.

Para ser objetiva, a lancheira deve ser composta de um líquido, uma fruta, um tipo de carboidrato e um tipo de proteína, sempre variando seu conteúdo para despertar o interesse da criança nessa refeição e estimulá-la a ter uma alimentação diversificada, garantindo uma boa oferta de nutrientes.

Agora, como conseguir fazer tudo isso, quando não temos tanto tempo disponível para preparar a lancheira dos nossos filhos? Planejamento e praticidade são os meus segredos para conseguir!

Pensar na composição da lancheira com antecedência e deixar frutas lavadas e organizadas na geladeira otimiza o tempo, assim como deixar os itens separados na noite anterior. Congelar preparações feitas em casa, como pães e bolos sem recheio, pode facilitar e garantir a variedade, mesmo nos dias mais corridos. Afinal, tudo já estará pronto e é só colocar na lancheira.

Quando pensamos na bebida na lancheira, o ideal são os sucos naturais, mas, por aqui, também utilizo as polpas congeladas ou ainda conto com a segurança e a praticidade das bebidas embaladas, como bebidas à base de soja, água de coco e sucos 100% frutas.

No mercado temos muitos produtos disponíveis, então sugiro que, antes de colocar no carrinho, vale a pena ler o rótulo e compará-los para verificar qual oferece o perfil nutricional mais atrativo para atender às necessidades da criança.

Os alimentos de soja também são opções que podem contribuir com o teor de cálcio e proteína da lancheira, porque a proteína da soja é considerada completa, com alto valor biológico. E, dentre as novidades do mercado, encontrei uma que tem uma composição que gostei: AdeS ChocoMax. Com delicioso sabor de chocolate, AdeS ChocoMax é fonte de cálcio e proteína, contém 8 vitaminas e zinco, além de ser naturalmente sem lactose e sem colesterol, como todo alimento com soja.

Ao comparar com a média de mercado de achocolatados, AdeS Chocomax contém 250mg de cálcio/porção, tendo, então, 79% mais cálcio. Em relação a esta média, o lançamento de AdeS também apresenta 65% mais proteínas e ainda 55% menos açúcares totais!

E, quanto aos micronutrientes, AdeS Chocomax possui vitaminas A, B2, B6, B12, C, D e E, além de ácido fólico, cálcio e zinco, nutrientes importantes para o crescimento e o desenvolvimento adequados das crianças. Gostei da novidade e acho que pode contribuir para compor uma lancheira nutritiva!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

¹ SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. DEPARTAMENTO DE NUTROLOGIA. Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. 3 ed. Rio de Janeiro: SBP, 2012.

² WEFFORT, Virginia Resende Silva et al. Manual do lanche saudável. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Nutrologia, 2011.

 

hubme-patrocinado