Amamentação, Babies

O desmame noturno do Pedro



O desmame noturno do Pedro aconteceu. Eu já não estava mais conseguindo raciocinar – sal no lugar de açúcar no suco das crianças, por exemplo – não estava tendo a menor paciência com os meninos, muito menos estava conseguindo cuidar de mim. A privação do sono, por conta das mamadas sem fim ao longo da madrugada, me fez tomar a decisão de não dar mais o peito para o Pedro de madrugada.

Na verdade, ele agora só mama antes de dormir à noite. Ao longo do dia, quando ele dorme, minha funcionária ou meu marido o colocam para dormir. Eu desapareço – ainda que me tranque no banheiro – para que ele não sinta nem de longe o meu cheiro. Sim, se eles sentem que estamos por ali, a dificuldade em aceitar que outro os coloquem para dormir, é inevitável.

amamentação-e-desmame

Mas como realmente foi o desmame noturno?

Num certo dia – não me lembro a data direito – decidi que não tinha mais condições de continuar me arrebentando para atender o Pedro. Preciso dizer que ele acordava de 40 em 40 minutos. Um choro sem fim. Eu não tinha forças para nada, apenas me virava e dava o peito, mas quando ele percebia que eu tinha saído de perto, começava tudo de novo. Nisso, arrebentei minha lombar, fora o cansaço sem fim.

Leia também:

No dia que decidi que não iria mais dar o peito, antes de o colocar no colchão no chão ao lado da minha cama – antes era cama compartilhada – peguei ele no colo e disse que o meu peito estava dodói. Antes das críticas, um dos meus seios estava com fissura, eu estava morrendo de dor, então o ato de amamentar, naquele momento, não estava sendo nada prazeroso, me deixava enlouquecida, na verdade.

Ele me olhou e tentou encostar e eu disse que não. Aquele peito não podia porque estava dodói. Ele foi para o outro. Ai o tirei, olhei firme e falei “filho, a mamãe não vai mais acordar à noite para te dar peito. Você precisa dormir e a mamãe também. O Pedro precisa dormir e quando tiver sol, você acorda; a mamãe vai estar aqui ao seu lado a noite toda, mas não vai dar peito”. Juro que aquilo foi despretensioso, mas eu estava decidida a não dar mais peito para ele na madrugada.

Ele acordou umas duas vezes. Eu estava tão cansada que fiz apenas “shhhhhhhhhhh”. Ele chorou. Eu desci para o colchão, mas fiquei de costas para ele. Ele ainda tentou mamar, mas estava decidida a não ceder. Não cedi. Ele voltou a dormir.

Na noite seguinte, ele dormiu a noite toda, mas antes de dormir, eu falei novamente que não teria peito, que era para ele dormir, que a mamãe estaria ali ao lado dele, mas não daria peito. Ele dormiu à noite toda.

Hoje, estamos com quase uma semana de desmame noturno. Ele já não acorda com tanta frequência. Nas noites em que acorda, eu tento o “shhhhhhhhhhhhhh”, se não dar certo, eu desço para o colchão dele, mas sempre fico de costas para ele, para que ele saiba que não terá o peito para voltar a dormir. Tem dado certo, estou bem mais descansada e voltei a amamentar com prazer, sem sentir dor ou cansaço extremo por estar ali com ele.

Lembrando que o Pedro está com 1 ano e 6 meses. Já come tudo. Janta super bem e, pela quantidade, ele não sente fome. Cada caso é um caso, mas compartilho a minha experiência com vocês, assim se alguém estiver passando por situaçoes semelhantes, possa ter um “norte” para saber como agir.



  • Gabriela Macedo Gama

    Eu te entendo e como te entendo. Desmamei a Olivia durante a noite e logo por conta ela desmamou durante o dia. Foi a melhor coisa que fiz pela minha sanidade mental. Sei como se sente e acredite, vc fez o melhor para todos!