Babies, Saúde e bem estar

Não pegue na mão do bebê



Não pegue na mão do bebê. Em mão de bebê não se pega. Leia isso como se um mantra fosse. Não é frescura de mãe, é questão de saúde do bebê mesmo.

Eu sempre fui muito chata com isso. Falava que não era para pegar nas mãos dos meus filhos. Falava que não era frescura minha. Falava que as mãos dos bebês são as partes que mais precisamos tomar cuidado, porque por dali muitas consequências graves poderiam decorrer.

Eu tenho consciência de que a mão de um bebê é algo irresistível, assim como o pé, mas precisamos ter noção de que a mão é uma parte do corpo do bebê que ele mais coloca na boca, pois ele está vivenciando a sua fase oral.

Bebês levam frequentemente suas mãos à boca, e por isso, podem levar junto tudo de ruim que a mão de um adulto colocou ali quando a tocou. E você agora vive com a mão na boca para coçar os dentinhos!

“Mãos humanas são vetores de inúmeros vírus e bactérias. Bebês (e os prematuros ainda mais!) não têm a mesma imunidade que um adulto e invariavelmente têm o hábito de levar as mãos na boquinha.

Para quem acha que pedir para não pegar na mão do bebê é uma grande frescura, vão aí os principais motivos para comprovar que não é frescura, mas sim questão de saúde do próprio bebê:

  • As mãos humanas são uma das principais vias de transmissão de germes e microrganismos em geral;

  • Bebês (e os prematuros ainda mais) não possuem a mesma imunidade que um adulto, e isso, por si só, facilita a contaminação por vírus e bactérias;

  • Bebês levam constantemente as mãozinhas (que você adora pegar e beijar com suas mãos e saliva cheias de bactérias) à boca. E aí você pode estar o contaminando-o, sabia?

  • Olhos e nariz também são uma grande porta de entrada para germes e microorganismos, então mesmo que o bebê não coloque as mãozinhas na boca, podem ser contaminados se colocarem as mãozinhas nos olhos ou no nariz.

  • Agora não é uma questão de saúde, mas de respeito ao ser humano – sim, não se esqueça de que um bebê é um ser humano como você. Você chegar beijando as mãozinhas dele é uma espécie de assédio. Não enxerga assim? Então vou te dar um exemplo: imagina você andando pelo shopping. Chega um estranho e pega sua mãe e começa a beijar. O que seria isso? A mesma coisa que você faz quando beija a mão de um bebê.

Percebe agora que não é mesmo frescura de mãe? É questão de precaução, preocupação, afinal, se o bebê adoecer, quem irá cuidar dele? Quem irá comprar remédios, pagar consulta? Com toda certeza não será quem beijou a mão do bebê!