Mommies & Goodies, Reflexões de Mãe

A maternidade se torna difícil quando não se tem ajuda



Dificuldades da maternidade. A maior delas, sem dúvida, é não ter ajuda!

Você, mãe, tem se sentido exausta, sem forças para nada, sem paciência para os filhos e tudo o mais? Se sim, agora, me responda uma outra pergunta, você tem ajuda?

Se você respondeu não, pode ter certeza de que a razão para tudo isso é o fato de não ter ajuda. Aliás, para tudo na vida, serve essa constatação: quando não se tem ajuda, tudo se torna mais difícil, exaustivo e muitas vezes, enlouquecedor.

E acredito que, quando se trata da maternidade, onde precisamos cuidar, educar e exercer todas as atividades inerentes à função mãe, o fato de não ter ajuda potencializa infinitamente a dificuldade. Se cuidar de uma criança 24 horas por dia já é difícil, imagina sem qualquer ajuda?

Uma outra constatação que não posso deixar de falar é que o pai não é ajudante, o pai tem as mesmas obrigações que ama, exceto quando se trata de aleitamento materno, por questões óbvias, mas no restante todo, ele deve participar, até mesmo para que o (s) filho (s) não o veja (m) apenas como um amigão, que tudo deixa, que tudo pode.

Vejo muitas mães reclamando que estão cansadas, que não imaginavam como era difícil a vida de uma mãe. Eu até concordo que é cansativo, mas se temos ajuda, as coisas são mais fáceis e até mesmo, mais gostosas, afinal, estar com a criança não será apenas uma obrigação (justamente por não ter ninguém para dividir a função), mas um momento de curtir mesmo.

Você já parou para observar outras mães com seus filhos? Provavelmente, sim, ainda que sejam as mães das redes sociais – onde eu me incluo. Você percebeu se elas só reclamam ou que também mostram que tem um lado doce – não tão sombrio como no seu caso?

Pode ter certeza de uma coisa, em algum momento do dia, ela tem ajuda. Ela não conseguiria demonstrar a felicidade plena – tá, muitas conseguem mascarar o que estão sentindo, apenas para ganhar um “like” e encher o seu próprio ego – que a maternidade traz.

Imagina a seguinte situação: você tem 03 filhos. Você precisa conseguir dar atenção a todos e, em alguns momentos do dia, de forma exclusiva para cada um deles. Enquanto você está com um, os outros dois começam a brigar, choro e gritos para todos os lados. O menor quer atenção só para ele.

Você se sente culpada em deixar o que estava no momento dele de exclusividade. O mais velho, que já entende mais as coisas, começa a falar sem parar “ah, porque o fulano tem tudo o que quer, o fulano não faz nada, o fulano não fica de castigo e por aí vai”.

Isso sem falar em ter que fazer comida, limpar a casa, lavar e passar roupa, enfim, tudo, tudo mesmo que uma mãe dona de casa precisa fazer.

Leia também: pai não é ajudante

É impossível ser plenamente feliz sem qualquer ajuda. É algo enlouquecedor. Não estou exagerando!

Estou mostrando um pouquinho da minha realidade. Mas, graças a Deus, tenho uma funcionária que é meu braço direito, um marido que participa ativamente de tudo o que está relacionado às crianças, e assim, eu consigo ver, sim, a beleza da maternidade.

Eu amo ser mãe. Realmente nasci para isso.

Mas, sem dúvida alguma, nos momentos em que não tive ajuda, achava que a maternidade era uma grande insanidade, já que não tinha tempo algum para mim, estava sempre em função de uma criança e, nos momentos mais exaustivos (que sempre vão existir), não podia dar uma fugidinha nem para o banheiro.

Portanto, eu afirmo sem medo de ser feliz, ser mãe, sem ajuda, é extremamente exaustivo. Eu não recomendo a ninguém que faça isso.