Comportamento, Reflexões de Mãe

É fácil educar quando o filho diz “amém”

Como é fácil educar um filho quando ele sempre diz “amém”. Vivo três realidades distintas aqui em casa, e recentemente me peguei pensando como é fácil educar o Arthur – meu filho do meio – porque sempre que o chamo a atenção, ele diz tá certo; ou quando peço uma ajuda para ele, ele sempre me atende.

Isso não acontece com os outros dois – Dudu, o mais velho, tem sempre reclamações, quando pedimos alguma coisa para ele; e o Pedro, por ainda ser um bebê, não faz mesmo nada do que pedimos, até normal para a idade dele, afinal, bebês não obedecem mesmo.

Mas será mesmo que o fato do meu filho do meio sempre dizer “amém” é uma coisa interessante? Será que ele não deveria se opor – uma vez que fosse – aos pedidos da mãe ou até mesmo quando o coloco de castigo, sem brincar com os seus brinquedos favoritos?

Engraçado que, segundo meu marido, eu deveria agradecer por ter um filho tão bonzinho como o nosso Arthur, mas, gente, sério, o menino parece que veio pronto e quase não precisamos o educar, e será que isso realmente é normal ou ele não faz nada de errado, porque não quer deixar os pais tristes ou estressados?

Ou será que ele percebe o quanto nos estressamos com os irmãos mais novos e quer se destacar deles sendo um “filho sem erros para que os pais não briguem com ele ou até mesmo se chateiem”? Sério, tenho me questionado muito sobre isso.

Leia também: Educar é dizer não quando preciso

É tão fácil educar o Arthur – basta chamar a atenção uma única vez, caso ele faça algo de errado, e ele sempre diz “desculpa”. E, apesar de não devermos comparar as crianças, essa fase tem sido praticamente impossível, porque Dudu nos leva de 0 a 100 em frações de milésimos de segundo, e o Arthur? Ahhh, o Arthur, não. Ele faz de tudo para que não nos chateemos.

O grande nó na minha cabeça é “será que ele é assim mesmo ou será que age assim para não nos magoar”? E aí, me aprofundo, será que ele muda a personalidade dele para se adequar ao que desejamos – percebendo os erros dos irmãos?

Cabeça de mãe é uma coisa doida, né?!? Mas a grande verdade é que é fácil educar quando o filho diz “amém” para tudo, apesar disso fazer que com a mãe comece a pensar em uma infinidade de possibilidades de coisas para ele ser assim, ao invés, de aceitar (e agradecer) por ter um filho que realmente veio praticamente criado para este mundo.