Babies, Dicas, Kids

Como fazer a transição do berço para a cama



A transição do berço para a cama muitas vezes costuma vir cheia de dúvidas e receios por parte dos pais, e se esse é o seu caso, vale a pena ler todo o texto abaixo, e ao final, você terá a certeza de que se trata de apenas uma nova fase na vida do seu filho e a constatação de que ele está crescendo rápido mesmo.

O meu primeiro conselho é: não crie expectativas, porque, ao se frustrar, você pode acabar desistindo de fazer essa transição que é um grande passo na vida do bebê e na sua também, afinal, aquele bebêzico que ficava no berço ou na cama com você (viva a cama compartilhada!) está crescendo e logo mais terá uma cama para chamar de sua.

Meu segundo conselho não existe uma regra estabelecida dizendo qual o momento ideal de abandonar o berço. Claro que, se o bebê estiver pulando as grades do berço, aí não resta dúvida de que está na hora de tirá-lo dali até para evitar qualquer acidente mais grave.

A verdade é que essa transição do berço para a cama, geralmente, acontece entre 1 ano e meio e 03 anos e meio. Aqui em casa, por exemplo, tanto o Dudu como o Arthur foram para a cama quando o irmão estava a caminho. Dudu foi com 1 ano e 8 meses e o Arthur com 1 ano e meio, algo em torno disso.

Meu terceiro conselho: não tome uma decisão precipitada. Não é porque o seu filho pulou o berço hoje, que ele vai fazer isso sempre. De repente, ele utilizou algum objeto para conseguir saltar dali. Se for o caso, retire todos os objetos, inclusive os protetores (se ainda estiverem por lá), bichos de pelúcias.

Leia também:

Um ponto que acho super fundamental nesta transição é que, antes de ir para a cama, o interessante é colocar a criança num colchão no chão. Eu fiz isso com os meninos também. Na realidade, eu não sabia se eles estavam prontos para terem suas próprias camas, e não queria tornar aquela fase traumática  – com algum tombo da cama, por exemplo. Eu utilizei colchão de solteiro para os dois, mas se quiser, pode utilizar até mesmo o colchão do berço.

A adaptação dos meninos foi tranquila. Acredito por ter respeitado o momento deles, além de passar segurança, mostrando que a cama grande significava maior espaço e liberdade. O que eu também notei é que fazer a transição do berço para a cama, sem outras grandes mudanças (como o desfralde), foi primordial para o sucesso desta fase. Acredito que, quanto menos mudanças em um único momento, melhor.

É claro que, quando a criança tem um irmão mais velho – como aconteceu com o Arthur – a transição é mais tranquila, já que o irmão menor se espelha no mais velho e quer ser como ele.

Como fazer a transição

Torne este momento como algo grandioso, que merece ser realmente comemorado. Incentive a criança a contar para todo mundo, que agora tem uma cama nova, de “gente grande”.

Com o Dudu, fiz da seguinte forma. Ele foi para a escola e quando voltou o novo quarto estava cheio de balões e a nova cama no lugar do berço, que foi para o outro quarto, onde o Arthur ficaria quando nascesse. Ele achou aquilo sensacional! Foi uma delícia ver a carinha dele de felicidade, e claro, fizemos tudo com muita empolgação para sentir que aquele momento era realmente especial.

Mini Cama x Cama de Solteiro

Aqui em casa, optamos pela cama de solteiro para os dois. Primeiro, por questão de economia mesmo, afinal, a mini cama, quando a criança está com uns 5, 6 anos já não a comporta mais. Segundo, porque sempre recebo visitas em casa, então, o quarto deles acaba se transformando para receber todas as pessoas que se hospedam por aqui.

É claro que utilizamos aquelas grades laterais de proteção. Além da grade, eu confesso que enchia o chão de almofadas, porque caso caíssem (nunca aconteceu!), a queda seria amortecida. Nesse ponto, a mini cama tem essa vantagem, já que a altura é menor.

Fiz a mudança, mas ele não está dormindo bem. E agora?

Se seu filho está muito incomodado por ter passado para a cama, tente dar mais alguns dias a ele, com bastante incentivo. Mas, se mesmo assim não adiantar, talvez seja o caso de desistir e colocá-lo de volta no berço.

Há crianças que simplesmente não estão preparadas para deixar a segurança do berço. Se seu filho dormia bem, e de repente, depois da mudança, começa a ter dificuldade para pegar no sono, levantar 500 vezes ou chorar chamando você, ele ainda não estava pronto.

Não é vergonha voltar atrás. Não entre muito no mérito da questão, nem o puna. Às vezes é preciso recuar!

Na minha experiência, o sono dos meninos melhorou bastante quando eles passaram para a cama. Acredito que quando eles vão se mexendo ao longo da noite, e batendo nas grades laterais do berço, eles acabam acordando bem mais.

O importante é o momento da criança ser respeitado. Aliás, posso dizer que se aplica a várias fases da vida dos nossos filhos, inclusive, no desfralde.

Fonte:

Baby Center Brasil