Babies, Colunistas, Kids, Psicologia

Carnaval com os pequenos



Apesar de estar aqui na correria com o Arthur, a querida Juliana Benevides nos trouxe um texto maravilhoso – como sempre! – sobre o carnaval com os pequenos!

 

 

Algumas mães apesar de não gostarem da folia se cobram para frequentarem alguns bailinhos para que pelo menos os filhos possam conhecer e tentem se divertir no carnaval.

Aqui em Brasília existem desde os bailinhos mais tradicionais aos mais novos. Tem para todos os gostos e culturas e é uma mistura que dá certo. E quando eu menciono a palavra certo, significa que o índice de perdas é consideravelmente pequeno, principalmente em locais fechados e que consegue-se aproveitar sem maiores dificuldades.

Leve uma mochila com frutas, suco, água e lanches rápidos, mas observe que há funcionamento para venda de alimentos dentro dos clubes e shoppings que atualmente podem ser mais seguros porque os espaços são delimitados e, na rua, há uma sensação ainda de insegurança.

Óbvio que com criança pequena não tem-se como esperar que elas fiquem dançando ou paradas em um lugar apenas, mas em ambientes fechados fica mais fácil administrar. Sugiro colar um adesivo simples com nome completo, nome da mãe, telefones dos pais e endereço completo atrás da fantasia para que a criança não retire, porém há a possibilidade de colocar pulseira de identificação. Aqui em Brasília, a Polícia Militar oferece carteirinhas e pulseiras de identificação gratuitamente.

Como em Brasília, nessa época, costuma chover e faz um pouco de frio, leve uma roupinha mais quente na mochila caso ocorra essa possibilidade. Independente das alterações climáticas, use uma fantasia leve, sem muitos detalhes para que não haja coceira ou irritação por parte da criança.

Sempre dê preferência às matinês. Primeiro porque são adequadas para a idade das crianças, segundo porque não atrapalham a sua rotina, já que normalmente acontecem no período vespertino que é quando eles podem estar a todo vapor.

Em hipótese nenhuma deixe seus filhos com alguém desconhecido. Costume convidar sempre uma amiga (se tiver filhos, melhor ainda!) ou parentes para que possam revezar em caso de ir ao banheiro, ou até mesmo para comprar alguma coisa e enfrentar as filas sem crianças impacientes e chateadas por perto. Se estiver sozinha com seu filho(a), leve-o para onde quer que você vá, não confie em ninguém.

No site: www.desaparecidosdobrasil.org tem algumas informações de como proceder no caso da criança se perder. É difícil falar sobre isso, mas é real e necessário.

Tenha o máximo de cuidado com a proximidade da criança com o som. Surdez é irreversível e a audição pode sofrer prejuízos por excesso de som.

Tenha paciência! O carnaval só ocorre uma vez ao ano (ainda bem!), então aproveite o momento, tire muitas fotos porque depois só restarão lembranças e boas risadas. Se puder, criem uma fantasia! Se quiser, aproveite e vista uma fantasia também e curta esta criança que há em você!
Outras dicas importantes:

http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/pediatras-esclarecem-dúvidas-quanto-à-segurança-das-crianças-durante-o-carnaval

Um abraço,

Juliana Benevides