Babies, Saúde e bem estar

Bronquiolite: saiba tudo a respeito



Bronquiolite. Aquela palavra que todos os pais temem escutar, quando levam os pequenos para uma emergência, afinal, é uma doença que traz muito medo e requer cuidados intensos.

Dias atrás fui visitar a bebê de uma amiga, que com menos de 03 meses, precisou ficar internada por conta desse mal. Uma dó enorme que tive ao ver aquele pedacinho de gente num quarto de hospital.

Vou tentar esclarecer todas as dúvidas a respeito da bronquiolite, o mal que assola nessa época do ano.

O que é bronquiolite?

A bronquiolite é uma doença respiratória transmitida, dentre outras maneiras, mas principalmente, pelo Vírus Sincicial Respiratório – o temido “VSR”. Outras causas de bronquiolite são influenza, vírus para influenza ou adenovírus.

O vírus respiratório é transmitido de uma criança infectada pelas secreções do nariz ou da boca, por contato direto, ou gotículas. O período de maior contágio é nos primeiros dias da infecção. O período de incubação de VSR varia de 2 a 8 dias, normalmente 4-6 dias. Epidemias anuais ocorrem durante o inverno e início da primavera. Ou seja, justo nessa época que estamos.

Sintomas da Bronquiolite

De forma breve e sucinta, podemos mencionar os seguintes sintomas:

  • Cianose, caracterizada pela pele azulada devido à falta de oxigênio
  • Dificuldade para respirar, incluindo chiado no peito e falta de ar
  • Tosse
  • Fadiga
  • Febre
  • Retrações intercostais, em que os músculos ao redor das costelas afundam à medida em que a criança tenta respirar
  • Respiração rápida (taquipneia)

Inicialmente, a criança terá um corrimento nasal, tosse leve e, em alguns casos, uma febre. Dentro de 1 a 2 dias, a tosse piora e ao mesmo tempo, a respiração da criança irá tornar-se mais rápida e difícil. Ele pode ter chiado cada vez que ele expira o ar.

Fica difícil de mamar, porque ele está tendo uma dificuldade para respirar. Mesmo deglutição torna-se muito difícil para essas crianças. Os dedos e da área em torno de seus lábios pode virar uma cor azulada, um sinal de que sua respiração não está entregando oxigênio suficiente para a sua corrente sanguínea.

Nos estágios iniciais de uma infecção respiratória, você pode ajudar a aliviar os sintomas gripais do seu filho. Sucção suave do nariz e lavagem com soro pode ser útil. No entanto, o uso de medicamentos só deve ser feito caso o pediatra assim prescreva.

Consulte o seu pediatra imediatamente se o bebê ou a criança:

  1. Tem dificuldades respiratórias
  2. É mais jovem do que 2 ou 3 meses e tem febre
  3. Mostra sinais de desidratação, como boca seca, choro sem lágrimas, e urinar com menos frequência

Não há tratamento eficaz para a VSR ou outros vírus (exceto influenza). A observação para o agravamento é necessário. Se ocorrer piora, deve-se levar imediatamente ao serviço médico, pois a internação do bebê poderá ser necessária para o tratamento com oxigênio.

Pode ainda ser necessária a internação para que não ocorra desidratação do bebê, afinal com a tosse e a respiração rápida ele pode não conseguir mamar.

Prevenção

A maioria dos casos de bronquiolite não são fáceis de evitar porque os vírus que causam a doença são comuns no meio ambiente. Lavagem cuidadosa das mãos, especialmente antes de cuidar de bebês, pode ajudar a prevenir a disseminação dos vírus.

Membros da família com infecção respiratória devem ser especialmente cuidadosos ao redor dos bebês. Lave as mãos com frequência, especialmente antes de lidar com a criança.

Fonte:

Minha Vida

Hospital Infantil Sabara