Reflexões de Mãe

Até onde posso expor os meus filhos



Esse fim de semana estive num evento em São Paulo, a convite do Alana e do Movimento Infância Livre de Consumo (MILC), onde vários influenciadores digitais maternos e paternos puderam debater, sobretudo, sobre a forma desenfreada que as crianças são alvo do mercado publicitário.

Voltarei a falar sobre o evento Conexão Infância, porque foram tantos assuntos, tantos debates, tantas reflexões que um texto só não seria o suficiente, na verdade, acho que nem um livro em um único volume, mas a maior de todas as reflexões, sem dúvida, é sobre até onde posso expor os meus filhos, já que eles são a minha maior fonte de inspiração para esse trabalho no Baby Dicas.

E aí: até onde posso expor os meus filhos? Você já se perguntou sobre isso também?

E a resposta eu tenho encontrado diariamente com os meus próprios filhos.

O Eduardo, o mais velho dos três, pouco aparece nas redes sociais, porque, na maioria das vezes, ele simplesmente não quer e/ou não autoriza que eu poste qualquer foto dele; já o Arthur, o número dois, é mais despachado, e diariamente, pelo menos umas 10 vezes por dia, me pede para ter um canal no YouTube, só dele. E o Pedro, como ainda é bebê, eu posto muito mais.

Mas será que realmente tem sentido eu expor o Pedro por que ele é apenas um bebê? Será que lá na frente ele – e até mesmo os seus irmãos – não irão me julgar por ter exposto tanto a vida deles? Isso eu não tenho como responder agora, mas que eu tenho refletido muito sobre isso, e postado cada vez menos imagens deles, é uma verdade incontestável.

E nessa locura que é o mundo moderno atual e digital – onde para muitos o “like” passou a ser o oxigênio para a pessoa viver – eu me encontro perdida, sem saber realmente o que posso ou o que não posso expor da vida íntima dos meus filhos.

Para tentar me encontrar, eu tenho perguntado para os dois mais velhos se posso ou não postar. Quando eu tenho autorização, vou lá e compartilho, mas quando não, a foto linda fica apenas no álbum do celular.

O meu conselho para quem também tem refletido sobre isso é que tenha o máximo de cautela possível. Não poste uma foto pensando nas centenas, milhares de likes que você pode ganhar, mas pense, que num tempo curto, o seu filho pode jogar na sua cara que ele nunca quis ser exposto!

Apenas uma reflexão em forma de texto, porque depois desse final de semana em SP, eu tenho muitas outras reflexões sobre vários assuntos para trazer para vocês! Voltei inspirada! 🙂

expor os filhos nas redes sociais