Comportamento, Dicas, Sem categoria, Tecnologia

App que ajuda pacientes com TDAH



aplicativo-para-tdah

Com o objetivo de apoiar o tratamento multidisciplinar de pacientes com o Transtorno de Déficit de Atenção (TDAH), a Novartis lança no Brasil o aplicativo Life Coach.

O app é uma ferramenta desenvolvida na Suécia por psiquiatras especializados em TDAH e que funciona como suporte cotidiano para o acompanhamento do tratamento, auxiliando médico e paciente a administrar da melhor forma a doença.

Com o aplicativo, é possível que o próprio paciente registre objetivos a serem alcançados em seu dia a dia, como a realização de simples atividades pessoais: pagar as contas, arrumar o quarto, ter horário para estudar etc. A ideia é que pontos sensíveis para quem tem TDAH sejam trabalhados e que uma rotina seja estabelecida, já que essa pode ser uma das dificuldades causadas pela doença, assim como hiperatividade e desatenção.

As metas, alcançadas ou não, são registradas pelo paciente em um diário, no próprio aplicativo, e enviadas ao médico, que poderá analisá-las na próxima consulta. Com base nos objetivos alcançados, novos temas podem ser propostos, de acordo com a evolução desse paciente.

O processo, que se assemelha a um coaching, contribui para que quem tem TDAH melhor desenvolva disciplina e se mantenha focado nas habilidades sugeridas, e facilite o acompanhamento, e, consequentemente, o tratamento da doença.

O app pode ser usado por todos os perfis de pacientes com TDAH (adultos, jovens e crianças), e, no caso de crianças, os pais – ou cuidadores – podem ser os responsáveis pela utilização do Life Coach, que já está disponível para download gratuito na Apple Store (IOS) e Google Play (Android).

Quer mais informações sobre o TDAH? Acesse: http://tdah.novartis.com.br/.

Sobre o TDAH

O TDAH é um dos transtornos neurológicos do comportamento comuns da infância, e afeta de 8 a 12% das crianças no mundo, sendo o motivo mais frequente de consulta nos serviços de saúde mental envolvendo esses pacientes1,2. Estudos têm destacado uma taxa de prevalência de 2-5% da população adulta3-5.

A doença deve ser diagnosticada por médicos habilitados e tratada com o apoio de uma equipe multidisciplinar – psicólogos, fonoaudiólogos, educadores e outros profissionais. O acompanhamento médico adequado e tratamento correto trazem grande melhoria na qualidade de vida não apenas dos pacientes, mas também de seus familiares. Por ser uma doença que envolve as dimensões fisiológica, psicológica e social, em adultos e crianças, o desenvolvimento de estratégias e habilidades multidisciplinares é essencial para garantir a continuidade e o sucesso do tratamento.

Referências

1. Biederman, j.; faraone, S.V. Attention-deficit hyperactivity disorder. Lancet. 2005 Jul 16-22;366 9481):237-48.
2. Soutullo- Esperón, c.; Diez-Suárez, A. Manual de diagnóstico y tratamento del TDAH. Madrid: Médica Panamericana,2007, 176p.
3. Lara C, Fayyad J, de Graaf R, et al. Childhood predictors of adult attention-deficit/hyperactivity disorder: results from the World Health Organization World Mental Health Survey Initiative. Biol Psychiatry. 2009;65:46–54
4. Lie N. Follow-ups of children with attention deficit hyperactivity disorder (ADHD). Review of literature. Acta Psychiatr Scand Suppl. 1992;368:1–40
5. http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-registra-aumento-de-775-no-consumo-de-ritalina-em-dez-anos,1541952