Mommies & Goodies, Mommy to be, Reflexões de Mãe

10 situações no pós parto que ninguém fala



Hoje completam 60 dias que o Pedro nasceu. Eu poderia escrever sobre como é ser mãe de três, mas resolvi falar sobre 10 situações no pós parto que ninguém gosta de falar, seja por vergonha, seja por não gostar nem de relembrar o que aconteceu após o parto ou, simplesmente, não dar muito valor ao que já se passou.

No entanto quis conversar sobre isso, justamente, para alertar às mamães para que não se assustem caso não consiga fazer côco logo depois do parto e/ou sobre a dormência na barriga de maracujá velho que irá aparecer após o nascimento do filho. Pois é, coisas não tão legais, mas que, (in) felizmente acontecem, sobretudo para quem se submete à cesárea.

Engraçado que, depois de um tempo do nascimento, a gente acaba esquecendo e não à toa engravidamos novamente, porque tenho certeza de que se lembrássemos de tudo isso, não iríamos mais nenhum filho. Não é verdade?

E eu só estou lembrando agora, porque fui anotando no bloco de notas do meu telefone, justamente para não esquecer e poder vir falar a respeito delas para você.

Preciso te contar que a maternidade não se resume ao parto e à amamentação

As 10 coisas sobre o pós parto que ninguém gosta de falar, mas que acontecem em 9 de 10 de mulheres são:

1. Gases

Eu aprendi ainda no nascimento do Dudu que não deveríamos abrir a boca por pelo menos 12 horas após o nascimento do bebê, mas na euforia do momento, recebendo visitas assim que vamos para o quarto, quem é consegue ficar completamente muda?

Nos partos do Dudu e do Arthur até que me comportei bem, mas no do Pedro. Parecia marinheira de primeira viagem, queria falar como o parto havia sido ótimo, como o meu bebê era lindo, gordo e estava completamente apaixonada por ele.

Sabe o que aconteceu? Minha barriga inchou tanto, tanto, tanto que achei que fosse morrer de tanta dor. Uma loucura! Portanto, quando disserem “não abra a boca de jeito algum”, sigam a ordem, porque não desejo a ninguém os momentos terríveis que eu passei por conta dos gases.

2. Prisão de Ventre

É praticamente impossível ir ao banheiro e evacuar pelo menos nas próximas 48 horas após o nascimento do bebê, mas para evitar uma hemorroida ingira bastante fibra, tome bastante água e, se possível, ainda na maternidade peça algum remédio (ao obstetra) contra a prisão de ventre.

Após o nascimento do Arthur e do Pedro acabei tendo prisão de ventre, sendo que eu havia esquecido totalmente que havia passado por aquela situação quando o Arthur nasceu, mas quando aconteceu de novo após o nascimento do Pedro me veio às cenas de terror da primeira vez que tive uma prisão de ventre terrível, sendo que dessa última vez foi algo completamente insano.

Simplesmente não conseguia evacuar, sentia os pontos abrindo por dentro (na verdade, não abriram, mas eu estava tão em pânico que não queria fazer mais força com medo de que isso realmente acontecesse) e muita dor. Liguei aos prantos para o meu médico que me prescreveu na mesma hora um laxante.

Mas mesmo depois de ter tomado remédio ainda demorei muitas horas para conseguir me livrar das dores terríveis da prisão de ventre.

intestino-preso-prisao-de-ventre-76721537-T

3. “Barriga de maracujá velho”

Ah, quando saimos do hospital podemos já estar bem mais magras (em alguns casos pode ser que não pareça tanto), mas a flacidez da barriga é algo que ainda vai acompanhar todas as mulheres por algum tempo. A flacidez é tão intensa que nossa barriga fica parecendo um maracujá velho, bem enrrugada.

Eu, como tenho tendência à flacidez me assustei demais quando ganhei o Dudu, mas uma das minhas cunhadas já havia me avisado que isso aconteceria e me disse com essas palavras “não se assuste porque sua barriga vai parecer um maracujá velho, mas depois melhora”.

Para quem não amamenta, pode correr contra o tempo para melhorar esse aspecto com estimulação russa ou algum outro procedimento, mas para quem não pode investir em tratamentos estéticos, o aspecto melhora bastante em até 6 meses, não que vai voltar totalmente, isso depois com exercícios físicos se consegue.

Será que posso fazer algum tratamento estético para melhorar a minha barriga do pós parto?

pós parto barriga

Não se assuste se a sua barriga ficar assim depois que o bebê nascer. É o que realmente acontece!

4. Dormência na barriga

Eu não tive isso nas duas gravidez anteriores, mas agora no pós parto do Pedro estou em pânico, porque simplesmente não consigo sentir a minha barriga na parte superior onde foi o corte da cesárea. Por mais que eu mexa ali, o máximo que consigo sentir é um desconforto enorme e até uma sensação de choque.

Meu obstetra disse que é normal e que eu vou ficar assim por muito tempo. Nisso realmente estou incomodada e inconformada, porque nunca havia passado por isso, mas agora fazer o quê, né?

Li muito a respeito e realmente é algo que acontece com muita frequência em quem faz cesárea, mas há quem afirme que depois a barriga volte ao normal e espero que isso realmente aconteça por aqui, porque é algo desconfortável demais.

5. Queimação na coluna onde foi dada a anestesia

Todas as vezes depois de uns 30, 45 dias do nascimento dos meus filhos começo a sentir uma queimação horrorosa onde foi dada a anestesia. Uma dor enorme, principalmente quando estou com eles no colo por muito tempo. Sinto esse desconforto quando fico em pé, mas já aconteceu de sentir mesmo sentada. É um horror! Tem momentos que choro de tanto dor.

Confira 10 dicas para ter sucesso na amamentação

6. Muito frio após a cirurgia

Como reação à anestesia, o frio toma conta da gente. Há situações em que você já sai para a sala de recuperação enrolada numa manta térmica.

Lembro que senti muito frio mesmo com a manta térmica na recuperação do Dudu. Como era a minha primeira cesárea, não entendia o porquê de tanto frio, fiquei desesperada, achando que iria morrer do tanto que eu me tremia, mas logo colocaram outra manta e ficou bem melhor.

7. Coceira pelo corpo todo

Tive uma reação tão horrível à morfina que se passa antes de dar a anestesia, que parecia que nunca mais iria parar de coçar. Tomei umas três injeções com antialérgicos, que me deixaram dopada, e simplesmente não consigo lembrar de muita coisa no dia do nascimento do Pedro.

Estava completamente drogada, só lembro que dormi demais, que acordava coçando e me aplicavam injeção para parar a coceira. Horrível demais! Mas no segundo dia já não coçava tanto, mas coçava. (Só de lembrar já começo a me coçar de novo).

8. Inchaço nos pés

Não se assuste se você olhar para os seus pés e perceber duas bolas enormes. Pode não acontecer imediatamente após o nascimento do bebê, mas vai acontecer. Comigo aconteceu, nas três vezes, no dia seguinte que sai da maternidade.

Dessa vez com o Pedro foi ainda pior, porque o inchaço durou uns 04 dias. É feio de ver!

9. Sentir tudo solto por dentro da barriga

Você vai sentir todos os órgãos soltos dentro de você. É uma sensação desagradável, mas que ao usar a cinta melhora, já que com o crescimento do útero, os outros órgãos mudam de lugar e depois ficam realmente soltos. Hoje mesmo após 02 meses do nascimento do Pedro, ainda sinto algumas partes soltas dentro de mim, mas nada tão intenso como nos primeiros dias.

10. Cheiro terrível ao urinar

Dessa vez, eu anotei no bloco de notas do celular esse tópico justamente porque foi uma das coisas que mais me incomodou no nascimento do Dudu e do Arthur, mas acabava esquecendo depois de uns 05 dias após o parto, mas não quero que você se assuste na primeira vez que conseguir urinar, ainda no hospital, porque vai subir um cheiro medonho, por conta de todos os remédios e drogas que nos são dados.

É um cheiro muito forte que dá vontade até de vomitar, mas não se preocupe que esse cheiro fortíssimo não vai durar muito. Nas primeiras vezes que urinamos é bem forte, mas vai melhorando à medida que vamos indo ao banheiro com mais frequência.

Também ocorre mesmo quando o médico nos coloca um dreno, porque me lembro superficialmente que isso aconteceu no pós parto do Arthur, onde o médico colocou um dreno (que por sinal, prefiro que não coloque).

A Michele do blog Os Trigêmeos da Michele elencou 10 coisas que ela não sabia sobre a cesárea, e que eu também não sabia, antes do nascimento do meu primeiro filho. Vale a leitura!