Comportamento, Dicas, Kids, Mommies & Goodies, Psicologia, Reflexões de Mãe

05 atitudes para criarmos filhos melhores



Como criar filhos verdadeiramente bons em 5 passos poderia ser o título desse texto, mas não soaria real. A verdade é que com 5 atitudes podemos, sim, criar filhos melhores para eles e para o mundo.

Sempre que alguém me diz que tenho filhos bem-comportados, eu custo a acreditar, inclusive existem ocasiões que dou gargalhada ao escutar coisas do tipo.

Quero dizer, eu sei como meus pequenos cheios de energia agem em casa e o que eles fazem (ou são capazes de fazer), quando estamos em ambiente fora de casa.

Felizmente eles nunca me envergonharam em público. Eu não sei como ou por que, mas eles sabem agir otimamente bem quando outras pessoas estão ao redor.

Quero dizer, não é como se eles sempre agissem assim, mas eles sabem como me enlouquecer, quando ninguém está olhando. Quantas vezes já não escrevi sobre isso aqui, não é mesmo?

Dito tudo isso, posso dizer que ao final do dia eles ainda são boas crianças. Eles são meus filhos. Eles são educados, têm boas maneiras e não discutem comigo quando é hora de ir para a cama, por exemplo.

Mas se você quer criar filhos verdadeiramente bons, os psicólogos dizem que você deve fazer essas cinco coisas. Pode não ser fácil, mas vale a pena tentar.

1. Invista tempo nos seus filhos

Meu filho de 6 anos tem duas paixões, aviões e Lego.Infelizmente eu sou uma negação nestas duas coisas – o máximo que consigo fazer com Lego são encaixes sem nexo e de avião só entendo que, quando entramos, precisamos colocar o cinto de segurança e rezar até o destino final.

Certo dia, frustrado, porque o pai não poderia ajudá-lo a montar uma avião 747, e com a mãe criatividade zero, eu resolvi que iria vencer as minhas próprias barreiras e ajudar o meu filho a construir o tal avião.

Sentei com ele e fomos assistir vídeos no YouTube, onde ensinavam a fazer aviões mais elaborados. E então conseguimos fazer o que ele tanto desejava, e a partir dali, cada projeto de avião parecia mais fácil.

Nesse meio tempo, não só aprendemos a montar aviões juntos, mas também nos unimos. E posso confessar uma coisa? Isso mudou a nossa relação!

2. Seja a mentora dos seus filhos.

Isso pode ser um pouco difícil, porque eu mesma não sou um ser humano perfeito. Meus filhos podem (ou não) me ver faltar palavrões dentro do carro, quando tomo alguma fechada; podem até mesmo me ver falando mal de alguém durante uma conversa. Ou seja, eles podem me ver agindo nem sempre forma correta.

Mas mesmo assim, os especialistas dizem que você deve ser o mentor dos seus filhos e o seu maior exemplo de vida. Esteja ciente de suas palavras e  ações, pois eles vêm tudo o que você faz e o que você diz.

3. Dê a eles altas expectativas e objetivos

É melhor incentivar altas expectativas e objetivos para nossos filhos para que possam alcançá-los ou é melhor definir deixar o supostamente mais fácil para que eles possam alcançá-los e não se sentirem frustrados? Ou seja, se tornar um acomodado, vamos ser bem sinceros?

Muitos estudos têm mostrado que as altas expectativas criadas pelos pais estão associadas com alta realização acadêmica. Por exemplo, quando os pais estabelecem altas aspirações para a realização de seus filhos em assuntos como matemática, seus filhos têm melhor desempenho nesta área.

Ao mesmo tempo, porém, nossas expectativas precisam ser adequadas à idade da criança. Suas expectativas não podem ser irrealistas. Esperar que as crianças sempre sejam perfeitas na escola, nunca desobedecer e estar sempre de bom humor nem sempre acontecerá.

No entanto, se encorajarmos nossos filhos a sempre serem os melhores, podemos ajudá-los a alcançar seus objetivos.

4. Praticar Gratidão

Isso é mais do que apenas lembrar de dizer “obrigado” na hora do almoço ou do jantar. De acordo com especialistas, devemos trabalhar a gratidão em nosso cotidiano.

Faça com que seus filhos ajudem mais na casa, encontrem um projeto de caridade, pratiquem a gratidão dizendo não para o que de fato é errado, ou simplesmente sejam pacientes.

Uma coisa que eu faço é certificar-se de que meus filhos sempre agradeçam depois de receber um presente de um membro da família ou um amigo, inclusive quando recebem presentes de familiares que estão longe da gente. E se eles não podem agradecer pessoalmente, enviamos uma mensagem de vídeo agradecendo pelo presente.

Pode parecer algo descabido ou bobo, mas saiba que isso é extremamente importante, para que nossos filhos sejam realmente gratos. 

5. Ensine a eles sobre empatia

Esta é provavelmente a parte mais difícil, mas é necessária. Muitos especialistas acreditam que você deve assistir programas de televisão e filmes com seus filhos e discutir algumas cenas depois.

Após certos conflitos, discuta o que todos sentem. Além disso, é uma boa idéia deixá-los ver você resolver conflitos em sua própria vida e encorajá-los a falar por aqueles que não conseguem falar por si mesmos.

É claro que a parentalidade não é uma ciência direta. Mas ensinar as crianças a um senso de autoconsciência e a capacidade de distinguir os próprios sentimentos dos sentimentos dos outros irá ajudá-los a longo prazo.

Também é importante ensinar nossos filhos a assumir a perspectiva de outra pessoa e a regular as próprias respostas emocionais. Não é fácil, mas é útil para entender os outros.

Agora gostaria que você expusesse sua opinião sobre o tema nos comentários  e não esqueça de COMPARTILHAR esta postagem com seus amigos!